3 fatos sobre o pH da pele. Spoiler: ele não é neutro!

Conheça 3 fatos interessantes (e importantes!) sobre o pH da pele que mostram como tudo no nosso corpo é inteligente e funcional.



A sigla pH é utilizada para designar o “potencial hidrogeniônico” que determina níveis de acidez e alcalinidade, seja de uma substância, dos alimentos e até mesmo da pele. Esta escala vai de 0 até 14, sendo que o pH 7 é considerado neutro.

Na pele, o pH é definido pela mistura de água, ácidos, sais minerais, gordura e outros elementos expelidos pelas glândulas sebáceas e sudoríparas. E, como tudo no nosso organismo, ele não existe à toa.

Confira 3 fatos interessantes que ajudam você a entender esse indicador imprescindível da saúde cutânea.

O pH da pele não é neutro

O pH de uma pele saudável é levemente ácido. De modo geral, ele fica entre 4,5 e 5,5. Esta faixa é chamada “pH fisiológico”.

Se o pH sobe para alcalino ou cai para muito ácido, o equilíbrio natural da pele fica comprometido. Diversas substâncias deixam de ser sintetizadas, a perda de água aumenta e a epiderme (camada exterior da pele) não consegue funcionar como escudo bioprotetor.

Por isso é tão importante usar cosméticos com fórmulas que respeitem o pH fisiológico. Eles não interferem no nível de acidez que a pele precisa para inibir micro-organismos nocivos que danificam a nossa barreira cutânea, causando irritações, inflamações ou infecções.

Ele muda ao longo da vida

Logo após o parto, o pH da pele de um recém-nascido é alcalino, devido à presença do vernix caseoso, aquela substância graxa e esbranquiçada que recobre todo o bebê ao nascer. Ao longo das 24h seguintes ao parto, o pH cai.

Essa variação garante o grau de pH necessário para o corpo se proteger. Quando nascemos, nosso sistema imunológico ainda não está completamente desenvolvido. Por isso, precisamos que a nossa pele esteja suficientemente alcalina pra inibir agentes externos nocivos.

Ao longo do primeiro mês de vida, à medida que o nosso organismo vai adquirindo mais ferramentas de proteção, o pH vai se estabilizando até chegar em torno de 5,5, o pH fisiológico com o qual a pele permanece durante a fase adulta.

Ele não é igual no corpo todo

Já reparou que a sua pele não é igual em todas as partes do corpo? Ela é mais fina nos olhos, permitindo que as pálpebras se movam rapidamente para lubrificar o globo ocular. Na sola dos pés, é mais espessa, ajudando a amortecer o impacto ao caminhar, correr, pular…

Assim como a pele é diferente em diversas partes do nosso corpo, o pH também é!

Nas regiões mais próximas aos genitais, ele é mais baixo e fica em torno de 4,2. Esse ambiente mais ácido tem como objetivo inibir a infestação microbiana nessas áreas que ficam constantemente cobertas e úmidas. É por isso que os sabonetes íntimos são diferentes dos sabonetes para o resto do corpo.

Ficou surpreso em saber que o pH da pele não é neutro? Se ele não fosse levemente ácido, nosso corpo estaria muito mais exposto a doenças! Por isso, é superimportante cuidar da nossa barreira cutânea: o manto hidrolipídico. É ele que conserva o pH da pele nos níveis adequados de acidez. Quer saber mais? É só clicar aqui.

Vale lembrar que as informações deste texto não representam nenhum tipo de recomendação médica, nem substituem a importância de você consultar um dermatologista.

Assine e tenha acesso em primeira mão a conteúdos
sobre o estilo de vida tropical, urbano e contemporâneo.