A melhor hora para cada atividade: aprenda com seu relógio biológico

Sabia que o corpo funciona de maneiras diferentes ao longo do dia? Aproveite nossas dicas para ser mais produtivo, respeitando o seu relógio biológico.



Nosso ritmo biológico é completamente influenciado pela presença da luz solar e, para acompanhar esse compasso, nosso corpo foi projetado para funcionar de maneiras diferentes ao longo das 24 horas de um dia.

Por isso, saber qual é o melhor momento para executar determinadas atividades pode ajudar bastante a nossa saúde e a nossa produtividade.

Com base na Cronobiologia, ciência que estuda o nosso relógio interno, separamos algumas dicas pra você aproveitar melhor cada hora do seu dia.

Entre 6 e 7 horas da manhã: aproveite o cortisol e acorde bem

O cortisol é um hormônio que tem papel importante para nos preparar pra acordar e executar diversas tarefas.

Os níveis dessa substância no nosso organismo começam a subir entre 2 e 3 horas da manhã. Esse aumento é bem gradual e atinge o pico por volta das 8h30 da manhã. Portanto, pra aproveitar melhor o dia, o ideal é pular da cama entre 6 e 7 horas.

Alongue-se ainda deitado, espreguice e mentalize um dia produtivo e feliz. Seu corpo vai obedecer.

Entre 9 e 10 horas da manhã: aproveite a endorfina pra enfrentar desafios

Entre 9 e 10 horas da manhã, a produção desse belo analgésico natural é intensificada, fazendo desse período um bom momento para lidar com situações de grande estresse.

Priorize aquele trabalho desafiador, administre conflitos de equipe, fale com o gerente do banco, vá ao dentista. A endorfina vai ajudar você a encarar com mais calma todo tipo de atividade desafiadora e estressante.

Entre 10 e 12 horas: produtividade total

Entre 10 e 12 horas, o cérebro está no auge do estado de vigília e a memória de curto prazo está mais apurada.

É o momento ideal para criar, discutir projetos, estudar e se inspirar. Aproveite para fazer o que há de mais importante para seu trabalho do dia.

Entre 13 e 14 horas: hora da pausa

Este é o momento da queda de adrenalina, que desacelera o ritmo cardíaco e leva a um estado de tranquilidade. Então, ouça o seu organismo e embarque nessa pausa importante.

É hora de almoçar, preferencialmente uma refeição que tenha legumes, vegetais e grãos, e se dar um tempinho pra relaxar. Você vai voltar com mais energia pra dar conta da segunda etapa do dia.

Entre 15 e 16 horas: dê um sacode na queda de açúcar

No meio da tarde, acontece uma queda do índice glicêmico e a capacidade intelectual perde potência.

Para contornar esse estado, você pode ingerir um boost de energia (que pode ser na forma de um tablete de 30 gramas de chocolate 70% de cacau) ou sair para fazer algum exercício aeróbico por 30 minutos.

Entre 18 e 19 horas: se der, fuja do trânsito

Este é o momento em que o corpo fica mais vulnerável à poluição e ao monóxido de carbono. Então, se puder, evite sair para não ficar parado no congestionamento.

Entre 19 e 20 horas: jantar como um monge

Entre 20 e 21 horas, as enzimas do fígado estão menos ativas, por isso, não é o melhor horário para jantar nem para ingerir bebidas alcoólicas.

O ideal é jantar antes das 20 horas. Mas, se não der, prefira alimentos leves, de fácil digestão, e em pequenas porções.

Às 21 horas: o primeiro chamado pra dormir

Às 21 horas, o corpo está inundado de substâncias indutoras do sono.  É o primeiro chamado do nosso organismo avisando que é hora de parar.

Faça tudo que ajude a conduzir você para uma noite restauradora de sono: tome um banho relaxante, faça seu ritual de skin care, ouça uma música tranquila, leia um livro, medite… E, importante: desligue o computador e comece a dizer tchau para o celular e para a TV.

Às 22 horas: última chamada

Às 22 horas, começa o aumento de produção do hormônio do crescimento e de outras atividades indispensáveis do organismo para a renovação das células e para a recuperação física do nosso corpo.

Além disso, também começam os estágios do sono que permitem que os conhecimentos adquiridos sejam armazenados no cérebro.

Então, se você perdeu a primeira chamada pra dormir, aproveite essa.

E que tal saber o que acontece na sua pele ao longo do dia? Assim como os outros órgãos do corpo, ela também funciona em ciclos. Entender esse ritmo ajuda você a cuidar melhor dela. Toque aqui e descubra!

______________

Vale lembrar que as informações deste texto não representam nenhum tipo de recomendação médica, nem substituem a importância de você consultar um dermatologista.

Assine e tenha acesso em primeira mão a conteúdos
sobre o estilo de vida tropical, urbano e contemporâneo.