Do que a pele oleosa (realmente) precisa

Acredite se puder, mas eliminar a produção de sebo é o contrário do que a pele oleosa precisa. Nesse post, você vai descobrir as verdadeiras necessidades dela.



A pele tem duas importantes fábricas: 

· As glândulas sebáceas, que produzem gordura. 

· E as glândulas sudoríparas, que fabricam água, sais minerais e ácidos. 

O resultado dessa produção forma um biofilme – o tão falado manto hidrolipídico (também conhecido como barreira cutânea ou manto ácido), que cobre toda a extensão da pele e serve como escudo bioprotetor. 

A peculiaridade da pele oleosa é que, nela, a produção dessas duas fábricas está em descompasso: a que produz gordura trabalha mais. Isso faz com que o manto hidrolipídico fique desequilibrado, com muito mais sebo do que água, sais minerais e ácidos. 

A falta que a água faz 

Quando as glândulas sebáceas produzem muita gordura, o excesso de sebo dilata os poros. Ali, ele se acomoda juntamente com as células mortas da pele, formando uma mistura de gordura e proteína que atrai os mais variados micro-organismos oportunistas. 

Como as glândulas sudoríparas não conseguem acompanhar o mesmo ritmo da produção de gordura, temos menos água na pele. 

Com menos água, a epiderme (camada mais externa da pele) fica menos coesa. Conclusão? Nosso organismo fica desprotegido, com várias portas abertas para que micro-organismos nocivos possam entrar. 

É por isso que cuidar da pele não é uma questão meramente estética: é uma questão de saúde! Afinal, se o nosso órgão protetor perde integridade, ficamos mais expostos a doenças. 

Mas, então, do que a pele oleosa precisa? 

A melhor coisa que a gente pode fazer é ajudar a pele a funcionar de maneira mais harmoniosa. Então, todas as etapas da rotina de skin care da pele oleosa precisam dar condições para que as duas fábricas trabalhem em mais sinergia. 

Limpeza 

A limpeza é sempre a primeira etapa da rotina. E o importante aqui é lembrar que não basta usar um sabonete específico pra pele oleosa. A gente precisa de uma fórmula que não altere o pH fisiológico da barreira cutânea. 

Lembra que já falamos aqui no Lab Riô que o pH da nossa pele é levemente ácido? Então, se a gente usa um sabonete que mexe nessa faixa de pH, é mais um motivo para os micro-organismos oportunistas se instalarem e se proliferarem – afinal, é a acidez da barreira cutânea que ajuda a inibi-los. 

Hidratação e seborregulação 

Depois da limpeza, vem a hidratação, combinada com o controle da oleosidade. 

Sim, é isso mesmo que você acabou de ler: a pele oleosa precisa de hidratação. Afinal, é isso que vai aumentar a produção da fábrica de água. 

Outro ponto importante é que uma pele bem hidratada descama menos. Consequentemente, tem menos células mortas pra se juntar ao sebo e atrair fungos e bactérias do mal. 

E onde entra a seborregulação? Ela é importante pra desacelerar o expediente na fábrica de gordura. 

Mas, cuidado! O objetivo não é fechar a fábrica e parar a produção de sebo. Também não queremos retirar toda a gordura da superfície da pele, usando adstringentes agressivos. Sabe aquele tônico que seca tudo e deixa a pele repuxando? Fuja deles! 

Nosso organismo trabalha no modo ação e reação. Então, se a gente elimina todo o sebo, ele entende que precisa produzir mais. E é justamente isso que a gente não quer! 

Além disso, a gordura é, sim, importante. Ela ajuda a reter água (portanto, a manter a pele hidratada), atua na proteção contra a radiação solar e exerce outras funções essenciais para que a pele cumpra a missão de ser um órgão protetor. 

Bichos do mal x bichos do bem 

Na hora de escolher produtos para a pele oleosa, seja pra limpeza ou pra hidratação e seborregulação, fórmulas com propriedades antimicrobianas são grandes aliadas. Elas possuem substâncias que inibem micro-organismos oportunistas, como a bactéria Propionibacterium acnes e o fungo Malassezia furfur, que se aproveitam do quadro de desequilíbrio da pele e colaboram para o surgimento da acne. 

Só que tem uma pegadinha: muitas fórmulas cosméticas pra pele oleosa inibem os bichos do mal, mas também atrapalham os bichos do bem. 

Por isso, o ideal é optar por soluções que atuam nas duas frentes: ação antimicrobiana e proteção do microbioma positivo. 

Onde encontrar uma fórmula tão polivalente? No próximo lançamento da Riô Biocosméticos! 

Nosso primeiro produto facial está chegando com tudo isso: hidratação poderosa, controle da oleosidade, ação antimicrobiana e propriedades que equilibram a flora bacteriana da pele. Faltam poucos dias, aguarde! 

Sua pele é oleosa e, também, sensível? Então, vem ver o manual que preparamos com tudo o que você precisa saber sobre esta condição da pele. Toque aqui pra ler! 

______________ 

Vale lembrar que as informações deste texto não representam nenhum tipo de recomendação médica, nem substituem a importância de você consultar um dermatologista. 

Assine e tenha acesso em primeira mão a conteúdos
sobre o estilo de vida tropical, urbano e contemporâneo.